Notícias

Unidade móvel do Erasto Gaertner leva prevenção e diagnóstico precoce contra o câncer - 15/07/2021

Ação conta com ônibus que leva equipe do Conscientizar+ para fazer exames e consultas                                 


A pandemia afastou boa parte da população dos consultórios médicos. Em razão do temor do contágio pelo novo coronavírus, visitas rotineiras e marcação de exames clínicos acabaram sendo adiadas. Mas prevenção, neste ou em qualquer outro período, é fundamental.

Pensando na saúde da população paranaense, o Complexo de Saúde Erasto Gaertner lançou nesta quinta-feira (15), às 10h, no supermercado Condor do Pinheirinho, a Unidade Móvel Conscientizar +, para a realização de ações especiais dentro de empresas paranaenses, voltadas à prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos cânceres mais frequentes.

Trata-se de um ônibus equipado com toda a estrutura para atendimentos realizados por  uma equipe especializada em oncologia do Erasto, sempre a postos para prestar os serviços aos trabalhadores.

Todos os procedimentos serão oferecidos no veículo, que tem em sua área interna dois consultórios, elevador (para acessibilidade de pessoas com dificuldade de locomoção), sala de reunião e banheiro. Na Unidade Móvel, os colaboradores terão acesso a exames físicos/clínicos de câncer de mama, de próstata, de pele, de boca e de colo do útero. Receberão também informações de conscientização e, em caso de diagnóstico ou identificação de sinais suspeitos que precisem de exames mais aprofundados, serão encaminhados ao Hospital Erasto Gaertner.

Saúde para todos

A Unidade Móvel Conscientizar Mais é uma das ações do Programa Conscientizar +, que visa a levar conhecimento à população sobre a importância do diagnóstico de doenças para contribuir com o bem-estar físico e mental de todos e a melhoria de prognóstico nos casos oncológicos.

O projeto incorpora a missão da instituição de combater o câncer com humanismo, ciência e afeto, como define o superintendente da instituição de saúde, Adriano Lago.

Levar esse projeto para a empresa é oportunidade ímpar para falarmos e trabalharmos com prevenção e promoção de saúde, que no âmbito mundial oferecem o melhor custo efetividade em qualquer doença. Estamos muito satisfeitos em podermos fazer esse trabalho, que traz cuidado e atenção”, salienta Lago.

O superintendente do Erasto ressalta ainda que os dados atuais são preocupantes e reforçam a importância de aderir a mobilizações como essa.  Em virtude da pandemia, houve redução no acesso aos  meios de prevenção, diagnóstico e tratamento  de câncer.

Segundo a Organização Mundial de  Saúde (OMS), 50% dos serviços  governamentais de tratamento de  câncer foram parcial ou totalmente  interrompidos com a pandemia. A entidade prevê “um impacto no  total do número de mortes por câncer  nos próximos anos”.

No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, no triênio 2020/2022, haja 625 mil  novos casos de câncer  por ano. Só nos dois primeiros meses da pandemia, em 2020, calcula-se que entre 50 mil e 90 mil  brasileiros deixaram de receber o  diagnóstico de câncer, segundo apurado pelo Sociedade  Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) e  Sociedade Brasileira de Patologia (SBP).

O levantamento aponta, ainda, que houve redução de 70% no  número de cirurgias  de câncer e queda de 50% a 90%,  dependendo do serviço, das  biópsias enviadas para análise.

No Hospital Erasto Gaertner, houve uma queda média de quase 40% no número de diagnósticos de câncer em 2020, o que é explicado, segundo o diretor clínico da instituição, Sérgio Ioshi, pela ausência dos pacientes nas unidades de saúde e consultórios médicos para avaliações preventivas ou cuidados rotineiros, devido ao medo de contrair Covid-19.

“O impacto dessa diminuição já é percebido nas avaliações de tecidos coletados em cirurgia e exames. Constatamos o aumento da quantidade de casos avançados da doença e algumas áreas se destacam. Podemos citar como exemplo a quantidade de novos pacientes com câncer ginecológico, que caiu 55%”, explica Ioshi.

É importante informar à população: quem não procura atendimento médico tem um impacto muito ruim no tratamento, nas chances de cura e de sobrevida. “Nosso trabalho ganha ainda mais importância diante de um momento tão delicado quanto este da pandemia. Com os esforços de todos, vamos conseguir superá-lo e preservar a saúde dos trabalhadores”, conclui Adriano Lago, superintendente do Erasto. 

 

 

 

 


FALE CONOSCO, CHAT ONLINE!